05 dezembro 2010

Eu tenho um pai




Pessoal, depois de milênios, cá estou eu. Talvez meu último post aqui já que quando faço login o blog acaba recebendo várias mensagens como se eu tivesse postado. Coisa de vírus. Pilet, heeeelllppppp!
Mas então, deixa eu contar um testemunho poderoso aqui.
Gente, quem me conhece sabe que cresci sem a companhia paterna a minha vida inteira. Passei por uma mistura de sentimentos que variavam de raiva a amor, desprezo a curiosidade, indiferença e carinho. Não eram sentimentos que eu nutria pelo meu pai mas pela situação. Por vezes eu achava que vivia muito bem sem ele, outras eu sentia uma falta enorme de um abraço que só podia ter vindo dos braços de um pai.
A primeira vez que o vi foi em 1998 e, ainda assim, brigamos porque ele disse que a culpa por estarmos separados era minha, que nunca o havia procurado. Bom, opiniões a parte, já superei isso.
Não tinha outro caminho pra mim a não ser conhecer o Pai, correr pros braços do Aba Pai, que sempre me sustentou - sempre dando forças pra minha mãe.
Mas Deus SEMPRE tem um caminho de vida transformada pra aqueles que O seguem.
Repetindo:
Deus SEMPRE tem um caminho de vida transformada pra aqueles que O seguem.

Ano passado meu pai teve câncer de esôfago, foi pra cirurgia desenganado pelos médicos. Mas não só saiu da cirurgia vivo, como saiu fazendo jóia com as mãos e chamando pelo meu nome. Me procurou o Rio de Janeiro inteiro, refazendo os lugares por onde passei: escola, estágio, trabalho... Acabou me descobrindo aqui em São Paulo, onde moro atualmente.
Fui reticente ao encontro dele mas em poucas horas de conversa percebi o quanto somos parecidos, alguns traços físicos em comum e uma personalidade que não nega parentesco. Já sei de onde vem a barba espessa que vence o mais resistente barbeador, já sei porque me emociono fácil fácil, já sei porque sou tão tranquilo assim... E o melhor eu divido em três partes:

- Já sei a quem chamar de pai.
- Já sei que tô preparado pra ser pai.
- Já sei como compreender o significado da paternidade do Pai, do Aba Pai.


O que tá sendo engraçado e surpreendente pra mim é como consigo relacionar o amor do meu pai da terra com o amor do meu Pai do céu.
É óbvio que eu já sabia do cuidado, do poder, do amor, da proteção, da preocupação de Deus sobre minha vida. Mas agora potencializou!!! Aleluias por isso... Agora eu posso dizer que não só sei mas que o sinto mais real que nunca na minha vida.

Meu irmão, quantas revelações tenho tido relacionando o amor terreno com o amor supremo.
Meu pai, assim como toda minha família, está a mais de 400km de distância de mim e não posso vê-lo agora mas não duvido que ele me ama e que pensou em mim hoje. E nosso Senhor que está no céu? Sei que pensou em nós o dia todo e não duvido do amor dEle por mim e por vc.
Meu pai tá aguardando que eu o veja no dia 25/12 no "suposto" dia de natal para investirmos mais um tempo. Sei que no dia do "nascimento" de Deus, eu renascerei mais uma vez, subindo um degrau em direção a um bom relacionamento com ele.
Não espere até 25/12 pra pensar em Deus, você pode vê-Lo quando quiser, só querer, subindo quantos degraus você se permitir.

Abraços.
Lah

PS.: Meu pai quer um netinho... e eu tô louco pra providenciar um!

O Espírito de Deus testifica com nosso espírito que somos filhos de Deus. Romanos 8: 16

3 comentários:

MultTudes disse...

=´)
Me emocionei com seu testemunho... realmente poderoso! A gente demora muito pra perceber que de curta que é nossa vida, só quem a curte aproveitando todas as oportunidades de amar e ser amado realmente terá visto e vivido a vontade de Deus.

Amém, amém e aleluia! O q somos nós senão a forma do Senhor anunciar seu amor... e o q seremos nós se não vivermos isso!?!?

Amo vc hermão!
=*

Lah disse...

"...só quem a curte aproveitando todas as oportunidades de amar e ser amado realmente terá visto e vivido a vontade de Deus."

Uhhhhhhhh. Aleluia!!!!!!

Tbm amo vc hermão.
Paz.

Lah disse...

É, foi mal, hermana... rsrsrs

Veja Também