05 maio 2009

A Religião dos sem religião


O Termo religião se origina do latim “religare” que significa religar. Religar o homem a Deus, trazer a tona o relacionamento que se perdeu, de um homem vazio com seu Criador. Pode-se assim dizer que esta foi a maneira mais adequada para tal reconciliação. No dicionário Aurélio encontramos a seguinte definição para Religião: 1.Crença na existência de força ou forças sobrenaturais; 2. Manifestação de tal crença pela doutrina e ritual próprios; 3. Devoção. Desta maneira podemos observar Religião por alguns ângulos diferentes, que em seus intercruzamentos, vão trazer até nós a concepção que até hoje é de forma obscura interpretada.Trazendo tais definições para o Cristianismo de hoje, podemos analisar que os intercruzamentos acima mencionados acontecem sobremaneira a todo tempo. Já que usaremos o cristianismo como base de nosso estudo, vamos então procurar defini-lo para então seguir adiante e aprofundarmos. Segundo o mesmo dicionário, o popular Aurélio, Cristianismo define-se: O conjunto de religiões cristãs baseadas nos ensinamentos, pessoa e vida de Jesus Cristo. Em outra definição, concebida por John Stott, Doutor em Teologia e Pastor Evangélico, ele explicita que Cristianismo é o compromisso que temos com o Jesus ressurreto, reconhecendo sua vida como um projeto bem sucedido para a salvação do homem, uma obra redentora que permite um compromisso do homem integralmente com ele, entregando toda a nossa vida a Jesus.Numa análise de tudo, que por bases definitivas até agora podemos comprovar, é que com o passar do tempo, todas elas foram se cruzando, formando um verdadeiro emaranhado de pensamentos e verdades.Desde o período Medieval, chamado período das trevas onde a questão teocêntrica foi quebrada dando início ao período moderno com a ruptura de tais pensamentos pondo o homem no centro da fala do sofista Protágoras que o afirmava ser a medida de todas as coisas, tendo passado por Descartes entre outros modernistas, chegamos até hoje numa época chamada Pós Modernidade, onde nem mesmo Deus, ou o Homem ou Razão são pilares para conceber o mundo. Ou seja, passamos por inúmeros conceberes do Cristianismo até os dias de hoje. Na atualidade segundo o próprio John Sttot, verificamos uma geração afetada pelo pensamento pós moderno, com seus pilares fixados na secularização e relativização, levando a vida cristã hostil a Igreja e cordiais para com a pessoa de Jesus Cristo.Gravíssima esta afirmação na qual podemos constatar sua veracidade. Certamente esta geração a qual me incluo, pensa no amor pregado por Cristo, numa vida regida pelo respeito ao próximo e amizades consistentes com o homem em seu Ser Humano. Existe nos dias de hoje, um descontentamento muito grande com a Instituição Igreja de nosso tempo, como já mencionado anteriormente, o Cristianismo avançou durante séculos, sendo atribuído e atribuindo diversas intensidades, afetando e se deixando afetar, pelas diversas transformações do pensamento humano. Algo tão influente como o tal, não poderia passar imune as mesmas. Foram desenvolvidos durante este tempo, pensamentos mais revolucionários como o de Lutero, outros mais conservadores como o de Roma, mas nenhum se sobrepôs a desinstituição da fé, talvez quem tenha chegado mais próximo disto tenha sido o próprio Lutero, em sua luta contra o poderio de Roma e suas indulgências e a favor da livre interpretação bíblica, desta forma chegando assim mais próximo do individuo, em sua época é claro. Hoje não poderia deixar de citar o Pastor Ricardo Gondim, este que conseguiu, com sua definição arrumar meus pensamentos afirmando que Jesus não tratou Igreja como Instituição, mas como comunidade, Igreja são homens e mulheres com um nobre estilo de vida, verdadeiro, consistente que chegam a inspirar seus pares a glorificar a Deus. Porém a fé Institucionalizada prossegue, a mudança só ocorre na Instituição, e o ser humano permanece encaixotado numa relação com Deus moderada por algum CNPJ e estatutos que seguem a afirmar que cada um é o mais fiel a interpretar a Bíblia Sagrada.Dentre tantas institucionalizações de uma fé pregada por Jesus ser tão simples, logicamente alguém se cansaria de tudo isso. Sendo assim, volto a citar a geração hostil a Igreja e cordiais para com Jesus Cristo, geração esta que afirma não ter religião, mas que crê em Deus, geração que inclui cristão desgastados com esfera cristã em que viveram, onde seus líderes lhe ofereciam gaiolas enquanto Jesus, em seu Ministério nos ensina a ser livres. Vemos tantos pastores preocupados em equipar seus templos, que se esquecem de equipar os Santos, preocupam-se em obter títulos e acabam se esquecendo que não é ele mais que vive, mais Cristo em sua pessoa. Analiso os Congressos e vejo que na grande maioria dos conferencistas vão ali como mercadores, que transformam a palavra de Deus em mercadorias, outros criam até empresas para vender tudo isto, contando com “parcerias ministeriais” de sedentos que na verdade, deveriam ouvir tudo aquilo gratuitamente, pois não conheço um Jesus vendedor do Reino de Deus. Parece que voltamos aos tempos medievais, aquele tempo em que se vendiam Indulgências.Sendo um pouco drástico, naquela época pelo menos vendiam lugares no céu, hoje se vendem vidas prósperas aqui na Terra. As pessoas são a cada dia convencidas que a marca da promessa de vida abundante, porém terrena, é mais importante que a marca de discípulo de cristo, pregador do evangelho puro e simples.Diante destes fatos verificamos que tais pessoas, criaram uma nova Religião, a Religião dos sem Religião. Parece redundante mas não é. Estas pessoas tão machucadas e decepcionadas criaram para si, barreiras sobre tudo que se afirma vir de princípios religiosos, tentam voltar aquele Jesus que nada institucionalizou, homem simples que andava com pescadores, prostitutas, que pregava existir bons samaritanos e que seria impossível um cego guiar outro cego e que veio a este mundo para dar uma boa notícia que foi abafada por nós mesmos em nossas práticas cansativas e inconsistentes. Vivem a negar os princípios religiosos e ao mesmo tempo numa busca profunda de encontrar com seu criador. Toda criação geme por este momento, o momento do encontro com seu criador. Entendo que ainda maior que uma geração de hostis, existe uma geração de inconformados, geração que não aceita que o homem não se encontre com seu Deus, uma geração que tem o dever de levar a boa notícia, que tem a melhor forma de resistir a toda esta corrupção, que é apenas vivendo o que Jesus ensinou, apenas levantando os fracos, dando de beber aos que tem sede e não se aproveitar disso para se auto promover ou obter bens para esta vida. Vida com Deus é intimidade, é não esperar nada em troca, pois ser cristão é uma missão, devemos ter em nossa consciência que o nosso papel é veicular a palavra de Deus. Nossa missão é essa, levar o evangelho, e não nos vangloriar de nada e muito menos exigindo de Deus bens, porque somos servos e não podemos ser caudas, mas sim cabeça. Bem maior Jesus nos Deus, se dando em sacrifício vivo na cruz nos livrando da condenação eterna. O que mais você acha que deve cobrar de uma pessoa como esta? Devemos sim, tentar re-significar o evangelho esquecido por gerações. Transformar aqueles que afirmam não ter religião por estarem decepcionados com a Instituição. Afirmo que estes são mais honestos que muitos ditos cristãos, mas ao mesmo tempo, são servos em potencial que recebendo o treinamento adequado tornar-se-ão guerreiros que conhecem a guerra e que definem a coragem não num simples ato, mas em sua causa.

2 comentários:

Memórias de July Sanper disse...

Lindo lindo lindo amigo irmão que ainda não conheço + jah mora em meu coração... Glória a Deus por sua vida... Glória a Deus por esta inspiração... Bem aventurados os que tem sede de Justiça... Fico feliz por saber que existem + alguns exemplares iguais a mim... poucos mas existem... vida minha descrição de religião no orkut: TENHO UM LADO ESPIRITUAL IDEPENDENTE DAS RELIGIÕES... ehehehe... quem se diz protestante hoje em dia nem sabe é que é isso ou o que foi... a verdadeira religião é como vemos em Tiago... "A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo."
Shalom a todos... bjnhs Julyn Sanper!

Paulo Santos disse...

Amada, fico muito feliz pelo carinho. Realmente somos poucos, mas se nos unirmos poderemos gritar a ponto de alguém ouvir.
Estaremos juntos para denunciar os mal intencionados e para proclamar o evangelho puro e simples do meu filósofo favorito!

Veja Também