09 novembro 2008

DESAFIANDO - e vencendo - GIGANTES


É uma miragem????

Não, não. Sou eu mesmo, dando o ar de minha graça no bloguim. Pedindo desculpas a Juh, ao Pilet e a todo mundo por ter me ausentado durante taaanto tempo. Graças ao Pai chega uma hora que a gente se lembra que honrar os compromissos e alianças faz parte da vida do cristão, que aquele que coloca a mão no arado não pode simplesmente olhar atrás e esquecer de tudo.

Mas neste retorno daquele que não se foi o que desejo falar mesmo é de uma experiência que vivi ontem.

A turma de formandos do E. Médio do colégio onde trabalho sempre foi uma turma meio descrente. Descrente de sonhos, descrentes de realizações, descrente de vôos mais altos, alguns até descrentes de Deus. É uma turma cuja aluna mais nova tem 17 anos e a mais velha - não citarei o nome porque mulher tem certas frescuras, hehehe - tem 50 e tantos anos, mas dentro de cada um, seja mais novo ou mais experiente, pairava um medo de não sei o quê, uma falta de objetivos tamanha que chamou minha atenção. Nunca, em 6 humildes anos de magistério, ouvi tantos relatos de alunos com problemas no trabalho, com casamento destruído, pensando em trair esposo, desmotivado porque pai morreu, infeliz porque mãe morreu, não achando mais graça alguma na vida... Uma dessas alunas chegou a me confidenciar:

"Ah professor, eu sei de tudo o que você acredita mas pra mim não vale mais, nem em Deus eu tô conseguindo acreditar".

Lembrei-me de um filme que marcou minha vida: Desafiando Gigantes, que dá uma lição de fé, renúncia, submissão, superação de medos, confiança em Deus, otimismo, entre outras lições. Bom, eu poderia falar muito sobre o filme e escrever um texto sobre cada uma dessas lições mas fica pra depois (quem sabe não se torna mesmo uma idéia. Gostei!!!) mas nesse primeiro momento quero deixar claro o quanto Deus pode agir onde Ele quer e do modo como Ele deseja.

Não precisei pensar muito pra ver que o filme seria ideal pra essa turma e como pano de fundo pensei numa atividade que eu pudesse incluí-lo. Pronto, aluguei. 

Já no término do filme, apesar do meu discurso "vou preparar terreno e depois ministrar" já estar pronto, quando acendi as luzes aquela choradeira das meninas (e dos meninos, preciso comentar) tomava conta da sala. Percebi que era um resultado que ia além da mensagem do filme, era o próprio ESanto que já estava ali fazendo a obra.  Só o choro quebrava o silêncio daquele lugar. Pra quê preparar terreno se o ESanto tocava o coração dos quebrados e quebrantados!

Mais do que ministrar, eu mesmo fui ministrado naquela verdadeira aula do meu Senhor pra nossas vidas. Depois de algumas palavras minhas, meus alunos começaram a testemunhar, desabafar, agradecer Deus e reconhecer que nenhum problema é impossível pra Ele, bastando apenas abrir o coração pra que a obra seja feita.

Foi tão tremendo o negócio que era pra eu liberar a turma as 20:20h. Eram 21:30h e ainda estávamos lá rendendo graças a Deus e nos reconciliando mais uma vez com Ele. Alguns não entendiam nada, outros continuavam chorando, os alunos bagunceiros estavam atentos à situação como nunca eu tinha visto, enfim, o Senhor preparou uma situação pra que Ele mesmo fosse exaltado. E Ele foi!

Fomos embora mas eu sei que não foi o fim, mesmo aqueles que não pronunciaram uma palavra sequer foram tocados no profundo e creio e profetizo que vão repensar suas atitudes, suas descrenças, seus medos, sua incredulidade... Se é que já não o fizeram.

Eu quero deixar claro duas coisas:

1. Basta um posicionamento pra que o Senhor realize o que Ele tem proposto pra nossas vidas.

2. Não há impossíveis pra Deus.

Ahhh, lembra da aluna que dizia que não conseguia nem mais acreditar em Deus??? Pois é, ela DIZIA. Resultado: transformação de vida, transformação de alma.

Aleluia!!!! 

Desafiando Gigantes - Facing the Giants

http://bonsfilmes.blogspot.com/2007/05/desafiando-gigantes.html

Um comentário:

Profético - Estudos Bíblicos disse...

Hernandes Dias Lopes

Vencedores de gigantes triunfam em público, porque já tiveram importantes vitórias privadas. Eles não fogem e nunca desistem. Eles não se contentam com nada menos que a vitória. Este livro é como uma mola propulsora para que se possa enfrentar com coragem adversidades, desafios e novas etapas da vida. Mais que isso, um incentivo para viver à luz da verdade diante de incertezas e instabilidades.

Veja Também